Atributos do Sagrado do Museu Afro-Brasileiro da UFBA

Do momento da sua criação (1974) até a sua inauguração (1982), o Museu Afro-Brasileiro da Universidade Federal da Bahia, recebeu doações de várias comunidades religiosas, representadas por suas lideranças. Este movimento em direção ao Museu demonstra a compreensão sobre a sua importância como local de preservação e valorização das memórias, histórias e culturas africanas e suas diásporas.

 

Indumentárias e adereços configuram-se como importantes elementos de transmissão de valores, demarcação de posições sociais e hierarquias no seio de um grupo social. Também funcionam como veículos de comunicação e compartilhamento de crenças e valores. A sua produção envolve diversas tecnologias e conhecimentos, resultando em uma diversidade de objetos com valor artístico e estético.

 

Nesta exposição, são apresentados objetos do acervo do Museu, relacionados ao vestir-se para celebrar a ancestralidade, em rituais para Orixás, Voduns e Inquices, como parte das várias ações relacionadas aos contatos com a ancestralidade e à celebração das memórias afro-brasileiras.