Coleção Capoeira

Os Mestres Pastinha, Bimba e Cobrinha Verde iniciaram a jogar Capoeira nas duas primeiras décadas do século XX, em um momento histórico em que ainda era considerada atividade marginal, proibida por lei. Os capoeiristas deste período dividiam o território do centro antigo de Salvador, tendo o poder público perdido o controle daquele espaço urbano, conforme atestam as pesquisas realizadas por Josivaldo Oliveira (2004). 
 
O acervo de Capoeira do MAFRO/UFBA é formado por 104 objetos reunidos por amigos e familiares desses três importantes capoeiristas, mestres Pastinha, Bimba e Cobrinha Verde, com o objetivo de depositar no MAFRO, doados entre os anos de 1983 e 1984.
 
Composta de 104 peças,  sendo 70 peças dos mestres Pastinha, Bimba e Cobrinha Verde, assim distribuída: 10 utensílios - inclusive uma peça de mobiliário; 11 peças de vestuário, incluindo acessórios como bengalas e guarda-chuva; 40 instrumentos musicais - especificamente berimbaus, pandeiros e reco-recos, 10 artefatos artísticos, sendo três quadros pintados pelo Mestre Cobrinha Verde, e desenhos retratando passos de Capoeira feitos pelo Mestre Pastinha.
 
A Coleção Capoeira está subdividida em 23 peças de Pastinha, 21 peças de Bimba e 26 peças de Cobrinha Verde, além de 34 peças que, embora compondo a coleção de objetos de Capoeira do MAFRO/UFBA, foram relacionadas separadamente devido à procedência dos objetos; alguns foram doados durante o processo de formação do Museu, a exemplo de berimbaus e outros instrumentos musicais que foram doados por Camafeu de Oxossi, figura de destaque na cena cultural de Salvador, no período de formação do MAFRO/UFBA. 
 
O acervo iconográfico é composto por 27 fotografias e fotomontagens classificadas como construções artísticas, documentos referentes às Academias de Mestre Pastinha e Mestre Bimba e 6 peças classificadas como diversos. Cabe ressaltar que a coleção de Mestre Bimba é composta principalmente por material iconográfico e documental referente a sua Academia de Capoeira Regional.